processar imagens monocromáticas

A fotografia tem uma longa história de produção de imagens monocromáticas, e muitos ainda apreciam este aspecto da fotografia. Embora existam algumas câmeras especializadas/modificadas com sensores genuinamente monocromáticos, a maioria ainda faz uso de câmeras comuns para capturar imagens coloridas e transformá-las em imagens monocromáticas durante o pós-processamento.

Existem duas abordagens principais para esta conversão:

  • Uma abordagem física, na tentamos simular como uma emulsão fotográfica baseada em prata reagiria à luz capturada no local.

  • Uma abordagem perceptual, onde processamos uma imagem colorida e reduzimos a saturação da cor em um espaço de cor perceptual como o CIE Lab.

Estas abordagens e outras características atreladas a monocromia no darktable são discutidas nas seções a seguir.

🔗importar e sinalizar imagens como monocromáticas

Ao importar uma imagem, existem várias propriedades que podem ser usadas para indicar que a imagem requer um tratamento monocromático:

  • Se a imagem foi tirada com uma câmera acromática, a imagem será automaticamente sinalizada como monocromática.

  • When you capture a scene from which you would like to produce a monochrome image, it can be helpful to put your camera into a “black & white” creative mode. This allows you to visualise what the scene would look like in monochrome through your camera’s liveview screen or electronic viewfinder. The camera will still capture the full color data in the raw file, but the embedded JPEG preview image will be monochrome. When you import such an image, darktable can automatically flag the image as monochrome based on the preview image.

    Verificar se a pré-visualização é monocromática retarda o processo de importação, portanto, está desabilitado por padrão. Você pode habilitar este em preferências > processamento > detectar imagens monocromáticas.

  • Ao processar um arquivo raw, uma das primeiras etapas é a interpolação cromática da imagem. Se você definir o método de interpolação cromática para “passar direto (monocromático)”, isso descarta as informações de cor durante o processo de interpolação cromática, e o darktable sinalizará a imagem como monocromática.

    Nota: Você só deve usar isso para imagens obtidas com uma câmera onde a matriz de filtro de cor foi removida.

  • Depois de importar a imagem, você pode sinalizar manualmente uma imagem como monocromática (ou não) usando a aba metadados no módulo imagens selecionadas na mesa de luz.

Se algum dos métodos acima resultar em uma imagem sendo sinalizada como monocromática, os módulos do darktable podem usar essas informações para apresentar ao usuário alguns controles de módulo específicos para imagens monocromáticas e/ou aplicar processamento especial à imagem.

A etiqueta darktable|modo|monocromática será aplicada automaticamente a todas as imagens sinalizadas como monocromáticas. Se você tiver habilitado qualquer informação de sobreposição permanente em suas miniaturas na mesa de luz, essas imagens serão marcadas com um indicador visual B&W próximo ao arquivo com as informações. Ao aplicar automaticamente essa etiqueta e indicador visual, o darktable facilita a configuração de filtros para selecionar imagens para tratamento monocromático e para ver rapidamente quais imagens na coleção atual estão com a etiqueta monocromática.

🔗conversão monocromática

🔗abordagem física

Essa abordagem tende a trabalhar com dados do sensor lineares referentes à cena e tenta imitar a resposta de um filme fotográfico com uma emulsão de prata. Consiste de três etapas:

  1. Mapeie os canais de cores do sensor para um único canal monocromático. Diferentes tipos de filme fotográfico monocromático têm diferentes níveis de sensibilidade a vários comprimentos de onda de luz, e isso pode ser simulado dando aos três canais de cores diferentes pesos ao combiná-los em um único canal monocromático. O módulo calibração de cor permite que os três canais sejam mesclados em um canal cinza em quantidades variáveis, e inclui uma série de predefinições que são projetadas para emular as características de alguns tipos bem conhecidos de filme fotográfico.

  2. Aplique uma curva de saturação de luminosidade. À medida que um pedaço de filme fotográfico é exposto a uma luz mais intensa, sua resposta diminui conforme a emulsão de prata fica saturada. Esta curva de saturação pode ser simulada dentro do módulo rgb fílmico.

  3. O processamento de um filme monocromático na sala escura tradicionalmente envolve “escurecer e queimar” para controlar o nível de exposição em diferentes partes da imagem. Isso pode ser emulado no darktable usando módulo exposição criando manualmente máscaras, ou usando o módulo equalizador de tons, que gera uma máscara usando um filtro guiado.

🔗abordagem perceptual

A outra opção para produzir uma imagem monocromática é reduzir a saturação de cor na imagem, o que pode ser feito em um espaço de cores linear, ou em um espaço de cores orientado para modelar a percepção humana.

  • O módulo balanço de cor opera em RGB linear e permite que você reduza a saturação de cor na imagem usando o controle de saturação de cor de entrada ou saída – o que você vai escolher depende se deseja fazer outros ajustes seja na imagem colorida, seja na monocromática, no módulo de balanço de cor. O módulo de balanço de cor tende a dar um resultado previsível e uniforme.

  • O módulo monocromático funciona no espaço de cores Lab e permite ao usuário definir graficamente uma combinação ponderada de cores para determinar a densidade dos pretos na imagem monocromática. A interface pode ser um pouco sensível às configurações, com pequenas alterações produzindo grandes efeitos, e você pode ter problemas com o contraste global e/ou artefatos de pixel preto.

  • Outros módulos, como zonas de cor, também podem ser usados para remover a saturação de cor da imagem, mas estes não oferecem nenhuma vantagem real sobre a simplicidade do controle de saturação do módulo balanço de cor .

translations